Fala.BR
VLibras O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Na tarde da última quinta-feira (25), a Coordenação de Meio Ambiente e Segurança do Trabalho (Comast) da CODESA e a empresa Brasbunker, realizaram uma simulação de contenção de óleo diesel marinho no Canal de Vitória. Mais uma vez, o resultado foi aprovado: o tempo de resposta para isolamento da área e o início da retirada do suposto óleo derramado atenderam à exigência da Licença Ambiental de Regularização (LAR) 06/2014.

O simulado foi realizado no berço 103 do Cais Comercial de Vitória. Em uma situação hipotética, logo após ter sido informada do derramamento de óleo na água, a equipe, que fica 24h de plantão, pôs o plano de contenção em prática. Dezessete minutos após o chamado, os profissionais chegaram ao local e se dividiram em duas equipes: uma por mar e outra por terra. O time marinho posicionou as boias de contenção ao redor do suposto óleo, contornando um rebocador que estava atracado no berço, e desta forma, impedindo que o produto se espalhasse pela baía.

Após instalarem a barreira de proteção, a equipe fez o “recolhimento” dos 5m³ de material de simulação utilizando uma bomba, enquanto os trabalhadores por terra realizavam todo apoio com outros equipamentos necessários para o simulado. Desta vez, o Plano de Emergência Individual (PEI) contou com treinamento teórico, antes que a ação fosse realizada. O trabalho foi feito seguindo as normas do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama).

Além da Comast, estiveram envolvidas as coordenações de Segurança Portuária (Cosnip); Gestão e Programação Portuária (Cogpro) e Sistema de Informação e Gerenciamento de Tráfego de Embarcações (VTMIS). O próximo simulado acontecerá em 2022, já que é realizado sempre uma vez no verão e outra no inverno.

 

Coordenação de Comunicação da CODESA

Galeria

VTMIS

Conheça o Sistema de Informação e Gerenciamento do Tráfego de Embarcações (VTMIS)

Acesse agora
Video

Saiba mais sobre o Porto de Vitória